Pesquisar neste blog

2.11.06

Análise de Conjuntura


A sabedoria do povo e a política
João Claudio Arroyo


Eu devo muito, muito, à sabedoria do povo brasileiro. Muita gente, durante muito tempo, achou que poderia manipular a consciência do povo brasileiro. E o povo brasileiro disse em alto e bom som: eu sou dono do meu nariz, eu consigo pensar e entender o que está acontecendo no Brasil e não vou acreditar nas mentiras que estão sendo contadas"
Presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), reeleito

A vitória de LULA e os desafios do futuro

A posse de Lula atraiu uma multidão, mas as fontes são imprecisas quanto a isto, variando o número de presentes entre setenta e duzentas mil pessoas. Estamos falando de 2002. O tamanho da multidão, na verdade, conta pouco, dado o imenso valor simbólico e a importância do momento que congregava toda aquela gente: Tudo o que o Brasil fez foi eleger um retirante, operário e líder sindical, filho de uma mulher guerreira, para o mais alto cargo político nacional, o que marca a relevância do fato e o ineditismo da situação, em termos nacionais e internacionais.De fato, a ascensão no Brasil de um operário a Presidente da República é um fenômeno que tem atraído os olhares e as análises do mundo inteiro. Jornalistas, cientistas sociais, politicólogos, economistas e observadores de todos os continentes tentam analisar e avaliar as linhas de força desse fenômeno, procurando entender seus antecedentes históricos e prognosticar seus possíveis desdobramentos.A história de Lula percorre simultaneamente diversos caminhos interpretativos, em abordagens que vão da biografia à análise histórico-institucional. Mas sua história pessoal não dá margens a especulações sobre porque se construiu como alternativa de poder.
Para começar, o perfil do operário-presidente. Com uma história que se repete aos milhões, Lula chegou a São Paulo como retirante nordestino. Sua infância e juventude foram sofridas, assim como de sua família e amigos. Formado pelo SENAI, certificado como torneiro mecânico, como milhares de jovens, empregou-se na Vilares e das contradições entre o Capital e a vida dos operários iniciou sua militância sindical e política – revelando uma trajetória dura, permeada de dificuldades, mas cheia de humanidade e de esperança num futuro melhor para si mesmo e para todos os brasileiros. Isto desemboca, naturalmente, na história do PT, que construiu desde os primórdios, com seus ideais generosos, seus personagens marcantes, seus conflitos e suas vitórias.
A vitória em 2002 e a reeleição em 2006, desafia nossas reflexões sobre nossas instituições políticas e procedimentos eleitorais, além de refletir sobre os impasses e contradições que o governo Lula enfrentou e tem de enfrentar – isto é, os enormes problemas que este governo herdou de FHC e que precisa equacionar. Temas como a Reforma Política, o desenvolvimento econômico, a inserção internacional do Brasil, as políticas fiscal e monetária e a inclusão social são centrais e merecem ser tratadas com rigor e clareza, para conquistarmos as mudanças necessárias em cada uma dessas áreas, conscientes de suas possibilidades concretas e suas limitações.
(Solicite a íntegra deste artigo pelo email arroyo@click21.com.br)

2 comentários:

Anônimo disse...

A herança é bem mais antiga do que de FHC, sabemos, o problema é que ele fez coro com ela - "eu vi el rei andar de quatro...". Sobre Lula, é exatamente nessa história de vida e de luta, que é verdadeira, que acredito. Vai falar mais alto no final das contas. É isso aí professor! Entre mortos e feridos - ai ai ai... - sobrevivemos todos, com alguma fé pra tocar o barco.

Magno Oliveira disse...

Sem dúvida a história da pessoa Luiz Inácio é significativa sob o ponto de vista simbólico, quando estabelcemos uma relação desta com o presidente Lula. Entretanto, até o momento, ainda não vimos nada de significativo em seu governo, nenhum esboço de transformação, nem projeto de nação, nem projetos ousados para a Educação, a Saúde e Setor energético, muito menos no Tecnológico. O que está patente é que eleição de Lula deveu-se a provavéis acordos com os setores oligárquicos brasileiros, e que o governo Lula está cumprindo impecavelmente. Contrariamente ao que esperávamos, nós, que éramos do PT desde a sua criação, estamos assistindo a um conjunto de medidas e posicionamentos do governo mais sofisticados que os governos anteriores, ou seja, o PT na presidência da república vestiu a mesma camisa dos antecessores. O desemprego aumentou assutadoramente, a crise na educação e na saúde pública se aprofundou, o número de miseráveis aumentou assutadoramente. Lamentável ver e ouvir os discurso de Lula em plena sintonia com o discurso midiático, ambos mascarando a realidade de forma acintosa. Hoje os movimentos sociais populares começam a se reorganizar para continuar a luta, após o seu esfacelamento pelo governo a partir de 2002. Juntando os cacos de esperança, começamos a ver a via campesina, o MAB e algumas centrais sindicais se mobilizando para reacender a esperança pregada pelo PT, mas sem contar com PT.
Magno Oliveira
Prof. UFF/ADUFF
Rio de Janeiro